Explicação da Eternidade, um poema de José Luís Peixoto


O escritor português José Luís Peixoto já é um nome conhecido no Brasil devido ao romance "Galveias", vencedor do Prêmio Oceanos 2016 (antigo Portugal Telecom de Literatura) e inspirado na sua terra natal, uma aldeia da região do Alentejo no interior de Portugal com pouco mais de 1000 habitantes, onde a modernidade da vida dos grandes centros urbanos ainda não chegou. Ler aqui a resenha completa do livro no Mundo de K. 

Agora, com o recente lançamento de "A criança em ruínas", primeiro livro de poesias de Peixoto em nosso país, temos a chance de conhecer um pouco mais do seu fascinante trabalho. Selecionei o poema abaixo, "Explicação da Eternidade" no site oficial do autor, vale a leitura para esquecer um pouco do tempo, ou da sua falta.

Explicação da Eternidade

devagar, o tempo transforma tudo em tempo.
o ódio transforma-se em tempo, o amor
transforma-se em tempo, a dor transforma-se
em tempo.

os assuntos que julgámos mais profundos,
mais impossíveis, mais permanentes e imutáveis,
transformam-se devagar em tempo.

por si só, o tempo não é nada.
a idade de nada é nada.
a eternidade não existe.
no entanto, a eternidade existe.

os instantes dos teus olhos parados sobre mim eram eternos.
os instantes do teu sorriso eram eternos.
os instantes do teu corpo de luz eram eternos.

foste eterna até ao fim.


A Casa, A Escuridão
Quetzal Editores, Portugal julho, 2014
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

As 20 melhores distopias da literatura

e. e. cummings - análise do poema "1(a"

Os meninos da rua Paulo - Ferenc Molnár

Robert Bly

Miriam Mambrini - Pássaros Pretos

As 20 melhores utopias da literatura